Buscando a notícia para você desde 2007 - Região dos Lagos - Ano 2017 -
Mostrando postagens com marcador rio de janeiro. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador rio de janeiro. Mostrar todas as postagens

Suspeito de sequestrar homem morre atropelado em fuga

Um suspeito de ser integrante de uma quadrilha que sequestrou o dono de uma oficina mecânica em Araruama, morreu atropelado em na RJ-106, em Maricá, na noite desta quarta-feira (22). Segundo a Polícia Militar, ele foi atingido quando tentava atravessar a rodovia a pé para fugir de abordagem da PM. Cinco homens conseguiram fugir e o homem feito refém foi libertado. O homem que atropelou o suspeito levou um tiro e foi levado para o Hospital Municipal Conde Modesto Leal.

Segundo a PM, o grupo de seis homens sequestrou o dono da oficina por volta das 18h30 em Araruama, no momento em que a vítima fechava o comércio. Eles seguiram pela RJ-106 em um carro até Ponta Negra, distrito de Maricá, onde o carro quebrou. Eles abandonaram o veículo e renderam outro motorista, mas o carro não tinha força no motor para a fuga; o segundo carro também foi deixado, e o motorista também foi feito refém.

O segundo refém agiu rapidamente e conseguiu fugir até o posto de uma polícia. O grupo roubou outros dois veículos na RJ-106 e seguiram até que perceberam a presença de policiais na pista.

No momento em que eles deixaram o carro ao ver os agentes, o homem apontado como chefe da quadrilha foi atropelado e morreu ao atravessar a RJ-106. No local, foram apreendidos um fuzil israelense, um celular e munição. Os outros cinco homens ainda são procurados. O caso foi registrado na 82ª Delegacia de Polícia.

O G1 entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Maricá (RJ) e aguarda informações sobre o estado de saúde do homem que atropelou o chefe da quadrilha, que foi baleado.


Fonte : G1
Foto   : Reprodução Inter TV - Imagem Roberto Nogueira

Sequestro na Ponte Rio Niterói acaba sem feridos. Polícia invadiu o coletivo e prendeu o bandido

Um assalto com reféns em um ônibus na subida Ponte Rio-Niterói bloqueou o acesso ao elevado pela Avenida do Contorno no sentido Rio. 

Equipes da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal cercaram o coletivo e negociaram a rendição do suspeito, que ocorreu às 9h50m. O motorista do ônibus e todos os passageiros estão sendo levados para a 76ª DP (Centro).

Reféns sendo atendidos numa ambulância Foto: Ricardo Rigel / Agência O Globo

Um dos reféns falou sobre os momentos de tensão pelos quais passou:

- A PRF graças a Deus notou (o assalto no ônibus). Ele queria todo o tempo ir para a Ponte. Estava muito nervoso. Não sabíamos se a arma era de verdade ou de brinquedo. Quando a Blazer da PM chegou, ele ficou mais nervoso. Chegou a falar: "Passa por cima". Foi um sufoco. - contou Tiago Freira, auxiliar administrativo.

A ocorrência começou às 8h50m em um ônibus da Viação ABC, linha Alcântara-Niterói, número 409, que passava pela Avenida do Contorno, antes de subir para a travessia da ponte. O acesso foi interditado para a resposta policial.

De acordo com a polícia militar, a grávida que estava como refém na Avenida do Contorno já foi resgatada e atendida por uma ambulância.

Ônibus da linha 409 bloqueou acesso à Ponte Rio-Niterói com o assalto 
Foto: Niterói Radar

O universitário Vinícius Maia, de 26 anos, passou pelo local no momento em que os policiais negociavam a libertação dos reféns. Segundo ele, no ônibus havia entre 10 e 15 pessoas.

— Havia muita gente chorando, nervosa. Além dos policiais, eu vi ainda três ambulâncias perto — relatou o jovem.

Policiais negociam libertação de reféns Foto: Divulgação/PMERJ

Nas redes sociais, internautas comentam o assalto. Fotos de usuários mostram engarrafamento na via.


Fonte : Jornal Extra
Fotos : Créditos na foto

Movimento intenso no retorno dos turistas

O movimento de volta do Carnaval é intenso nesta Quarta-feira de Cinzas (1º) na RJ-124, a Via Lagos, que liga a capital a cidades, como Cabo Frio, São Pedro da Aldeia e Araruama. 

Até 8h30, 12 mil veículos passaram pela via, de acordo com a concessionária. A previsão da empresa é que até 0h, 55 mil veículos passem no trecho. Não houve acidentes nesta quarta-feira.

A operação especial de Carnaval começou no dia 22 de fevereiro e segue até segunda-feira (6). A concessionária afirma que são esperados 503 mil veículos no período de operação.

Durante todo o feriadão, o Batalhão de Polícia Rodoviária intensificará as fiscalizações ao longo da rodovia. Uma base de atendimento aos motoristas funciona no Km 56, em São Pedro da Aldeia, no sentido Rio. 

A RJ-124 começa em Rio Bonito e passa por Araruama, Iguaba Grande e termina em São Pedro da Aldeia.


Fonte : G1
Foto   : EBC 



TRE-RJ cassou Pezão e decide fazer novas eleições no Rio para executiva do estado

O TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro) cassou nesta quarta-feira (8) os mandatos do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), e do vice-governador, Francisco Dornelles (PP), por abuso de poder econômico e político. Como ainda cabe recurso ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a decisão não tem efeito por enquanto.

A cassação, caso confirmada pelo TSE, deixa Pezão e Dornelles inelegíveis por oito anos. O TRE-RJ determinou ainda que sejam realizadas eleições diretas para a chefia do Executivo do Estado.

A decisão do tribunal regional foi por maioria dos votos. Segundo nota divulgada pelo órgão, "o abuso de poder econômico e político ficou configurado uma vez que o Governo do Estado do Rio de Janeiro concedeu benefícios financeiros a empresas como contrapartida a posteriores doações para a campanha do então candidato Pezão e de seu vice".

Em seu voto, o desembargador Marco Couto afirmou que "restou comprovado que contratos administrativos milionários foram celebrados em troca de doação de campanha".

Em nota, a assessoria de imprensa do governo do Rio informou que, "quando for publicada a decisão, o governador Luiz Fernando Pezão e o vice-governador Francisco Dornelles vão entrar com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE)."

Se a cassação de Pezão e Dornelles for confirmada, o presidente da Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro), Jorge Picciani (PMDB), assume interinamente até a realização de novas eleições. Segundo a Constituição do Estado do Rio, o pleito deve ser realizado em 90 dias. Já se o governador e o vice deixarem o poder no último ano de mandato, cabe à Alerj escolher os novos ocupantes dos cargos em 30 dias.

Apesar de ser do mesmo PMDB que Pezão, Picciani tem feito críticas abertas ao governo do Rio e comandou a votação que enterrou o pacote de austeridade enviado à casa pelo Executivo.
Rio em crise

A decisão do TRE-RJ é mais um baque no governo de Pezão. Ele assumiu em abril de 2014, depois que Sérgio Cabral (PMDB) renunciou para que o então vice disputasse a eleição no cargo. Foi eleito no segundo turno, vencendo o então senador e hoje prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB).

Pezão foi vice nos dois mandatos de Cabral -- que está preso desde dezembro sob suspeita de receber propina de empreiteiras. Hoje, o governador comanda um Estado em profunda crise econômica e palco de frequentes protestos de servidores públicos, que estão com salários atrasados.

Além de atrasar os pagamentos, o governo quer, para conter gastos, que os servidores aumentem a contribuição para a previdência de 11% para 22%.

Esta quarta, o governo do Rio garantiu o pagamento dos salários dos servidores da segurança no dia 14 e com reajuste de até 10,22%, tudo para evitar um possível motim na área de segurança. No pacote de ajuste fiscal para o Estado anunciado no fim do ano passado, o governo previa adiar o pagamento dos reajustes da categoria para 2020.

Em dezembro, os servidores da segurança engrossaram o ato dos professores e demais servidores públicos e chegaram a invadir a Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) durante a votação do pacote de austeridade enviado à Casa por Pezão.

Na terça (7), servidores do Estado voltaram a protestar na porta da Alerj. Centenas de participantes, a maioria de servidores da Cedae (a companhia de água e esgoto do Estado), foram contra colocar em discussão a privatização da companhia e os demais itens do pacote de medidas anunciadas pelo governo do estado para combater a crise financeira. Na semana passada, houve tumulto em manifestação no mesmo local.

Para pressionar o governo, servidores da Cedae decretaram greve por 72 horas a partir desta terça. Somente 30% dos funcionários estão trabalhando em ocorrências de falta d'água e grandes vazamentos, segundo o SintSama (Sindicato dos trabalhadores das empresas de saneamento básico do Rio de Janeiro). Funcionários da companhia fizeram novo protesto hoje.

A venda da companhia de saneamento é uma das manobras do governo para tentar contornar a crise. Ela faz parte do acordo com a União, que prevê a suspensão do pagamento de dívidas do Estado com bancos federais durante três anos e o empréstimo de R$ 3,5 bilhões para o Rio de Janeiro.

Em meio a toda essa crise, Pezão ainda se viu obrigado a ficar licenciado durante sete meses no ano passado para tratar de um câncer no sistema linfático. Durante o período, foi substituído interinamente por Dornelles.




Fonte : UOL Política
Foto   : Pedro Ladeira - Folha Press